Portal Opinião Pública "Jornalismo com independência e imparcialidade!"

Quem avisa? Operação da PF combate “Máfia dos combustíveis” na região.

ByLéo Feitosa

nov 1, 2019

 

Operação da PF combate “Máfia dos combustíveis” na região.

Conforme tinha adiantado a redação do Portal Opinião Pública, com exclusividade na noite de ontem quinta-feira, 31 de outubro, a Polícia Federal segue realizando operações em cidades do Extremo Sul da Bahia com o objetivo de combater um esquema criminoso nas prefeituras que foi apelidado como “Máfia dos combustíveis”.

Após a Justiça Federal determinar o bloqueio dos bens de 13 pessoas em Itamaraju, incluindo o ex prefeito Dilson Santiago e do pai de Gustavo Souto, atual chefe de gabinete do Prefeito Marcelo Angênica, agora foi a vez do Município de Guaratinga ser o alvo das operações da Polícia Federal.

Leia também!  Obras de pavimentação avançam pelo bairro Mirante do Rio; confira lista de ruas que ainda serão alcançadas.

 

 

De acordo com o portal Jojô Notícias, a Policia Federal teria cumprido na manhã desta sexta-feira, 01, vários mandados de busca e apreensão na prefeitura da cidade vizinha de Guaratinga, Secretaria de Educação e no posto de combustível da cidade, que foi denunciado também por abastecimentos fictícios, batizado pelo imprensa regional como a “máfia dos combustíveis”.

 

 

Comenta-se nos bastidores que a cidade de Itamaraju pode ser a qualquer momento alvo de novas operações para desarticular o esquema criminoso que, segundo o Ministério Público Federal, também envolve políticos e empresários locais. Em 2018 o vereador Evando Rodrigues denunciou a existência de um esquema criminoso de venda de combustíveis destinados a abastecer ambulâncias e veículos do transporte escolar.

Leia também!  Teixeira: Prefeitura inicia construção de praça no Ulisses Guimarães.

As denúncias ainda envolviam o nome do Secretário de Saúde, Elan de Lozinho, e de Fábio Lima, que é ex diretor de transportes e atualmente ocupa a função de assessor do vereador Flavinho. De acordo com juristas, se condenados, as penas dos acusados pode passar de 58 anos de prisão.

 

Por: Opinião Pública/ da Redação/

Faça aqui seu comentário!