Portal Opinião Pública "Jornalismo com independência e imparcialidade!"

Professores desfilaram vestidos de preto no 7 de setembro em protesto, e contra Temoteo Brito.

ByLéo Feitosa

set 9, 2019

A APLB-Sindicato de Teixeira de Freitas, categoria que representa todos os professores da rede pública municipal e estadual, cumpriram a promessa de desfilarem no 7 de Setembro ( Dia da Independência ) vestidos (as) de preto, em protesto contra a política adotada pelo atual gestor do município, o Sr Temoteo Alves de Brito, mesmo diante da recente judicialização das suas ações por parte do Procurador Geral do Município, o Sr Paulo Américo.

Recentemente a APLB-Sindicato havia mando confeccionado outdoors, e neles a mensagem que o prefeito Temoteo Brito iria acabar com às eleições para Diretor Escolar no âmbito do Município de Teixeira de Freitas.

Como resultado o Procurador Geral do Município, o Sr Paulo Américo judicializou a atitude da entidade sindical, que sob força de uma medida cautelar, foi obrigado a retirar os outdoors, e substitui-los por outros retratando-se, e afirmando serem falsas as mensagens contidas.

No entanto mesmo sofrendo uma derrota no tapetão, a APLB não abriu mão do direito de manifestar-se publicamente, e usou a Avenida Mal. Castelo Branco, no centro da cidade como palco contra a gestão.

Leia também!  Novo modelo das rotas do Transporte Escolar gera benefícios aos estudantes de Mucuri.

A prefeitura de Teixeira de Freitas comemorou o Dia da Independência com um dos maiores desfile cívico de sua história, segundo alguns portais de notícia. Milhares de pessoas acompanharam de perto as apresentações cívico cultural das escolas e entidades que desfilaram.

 

No entanto o momento de maior tensão ficou mesmo para o final, quando um pelotão de professores (as), vestindo camisas pretas, simbolizando “Luto”, com faixa e bandeiras, e nelas fortes críticas a gestão municipal.

Entre elas a reiterada acusação de que o gestor de fato deseja acabar com as eleições para Diretor Escolar.

“É uma prática comum que durante o período que antecede o período eleitoral ou as datas comemorativas alguns prefeitos tenham o “hábito” de realizar convocações, principalmente dos contratados e uma parcela dos concursados, para preencher o vazio dos seus eventos”

“Não me surpreende que sim, alguns professores (as) tenham se sujeitado a irem para a avenida simplesmente para cumprir um acordo, não porque concordamos com os recentes atentados do prefeito Temoteo Brito contra a Educação”

“Temos um acordo feito em assembleia com aprovação de um calendário de reposição das aulas da greve, onde o dia 7 de setembro, está incluso como dia letivo, simplesmente fomos sim, obrigadas, a comparecermos ao evento!” afirmou uma das professoras que preferiu não ser identificada. 

Documento enviada a nossa redação mostra que no dia 03 de setembro, o Secretário Municipal de Educação, Profº Hermon Freitas, expediu oficio nº 064/2019 convocando os (as) professores (as) a comparecerem ao evento, sob a justificativa que se tratava de ano letivo o dia 7 de setembro, com base no calendário de reposição das aulas, por conta da última greve da categoria.

Leia também!  Medeiros Neto: realizadas com sucesso as primeiras centenas de cirurgias de catarata no Hospital Municipal de Medeiros Neto.

 

No entanto mesmo assim uma parcela significativa da categoria compareceu trajando camisas pretas, como comprova o vídeo abaixo.

 

 

Compuseram também a manifestação da APLB-Sindicato os professores universitários da UNEB, UFSB e IFbaiano e componentes de outros sindicatos em apoio ao luto proposto pela entidade.

Por: Opinião Pública/ Da Redação/

Faça aqui seu comentário!