Portal Opinião Pública "Jornalismo com independência e imparcialidade!"

Professora grata ao ex-Dep. Federal Uldurico Pinto relata sua alegria e sonho de reencontra-lo.

ByLéo Feitosa

abr 10, 2019

Um fato inusitado ocorreu no último dia 08 de Abril, na Rede Sul Bahia de Comunicação, rede essa coordenada pelo ex-deputado federal Uldurico Pinto, onde sua própria história se confundi com a história não apenas de Teixeira de Freitas, bem como de todo o extremo sul baiano.

Os fatos abaixo narrados aconteceram no Programa Comando Geral do jornalista e radialista Fernando Moulin, que de forma clara e direta expôs uma linda história de superação, amor ao próximo, e compaixão. 

Os fatos ocorreram no mês de dezembro 1987, quando em um evento na sede da Ceplac foi realizada uma cerimônia de entrega de certificado de conclusão do curso nível I de pedagogia, o antigo magistério.

Na foto acima essa pessoa que está com o certificado de conclusão em mãos, se chama Maria das Neves. Ao ser chamada para receber seu diploma de conclusão de curso, sua triste história de vida foi contada enquanto ela caminhava em direção à mesa, de mãos dadas a sua filhinha, quando o então deputado federal Uldurico Pinto foi ao seu encontro.

Visto que Maria das Neves era a única formanda que não tinha padrinho, a partir daquele momento o deputado disse que agora ela já não estava mais sem padrinho, e passou a acompanha-la em toda a cerimonia a partir daquele momento.

Leia também!  Descaso: Governo Rui Costa inicia demolição do setor de embarque e desembarque da rodoviária; fechamento gerou revolta de taxistas e mototaxistas. Entenda!

Após esse evento todos foram convidados a irem a festa que iria ocorrer no Clube Social de Eunápolis em comemoração a formatura. Até então Maria das Neves não sabia ainda quem era aquele senhor que veio ao seu encontro quando do recebimento do seu diploma.

Foi quando ele a chamou para dançar e se apresentou “Olá eu sou o deputado federal  Uldurico Pinto”

Então ele perguntou a ela o que queria ganhar de presente de formatura, haja vista que é costume os padrinhos de formatura darem um presente aos seus apadrinhados.

Maria das Neves então respondeu: Eu gostaria de um emprego!

Nesse momento ele chamou uma pessoa e apresentou a ela dizendo que ela iria trabalhar em uma determinada escola, que deveria abrir uma conta em um banco onde receberia seus vencimentos.

Ela estava tão feliz, tão emocionada que mal acreditava no que estava acontecendo. Mesmo assim, foi ao banco e abriu a conta, conforme ele havia pedido que fizesse. E para sua surpresa, logo após vencido os 30 primeiros dias de trabalho, saiu seu primeiro salário.

Leia também!  Mais Infraestrutura: Prefeito Marcelo Belitardo visita obra no bairro Santa Rita. Vejam as fotos.

Era tanto dinheiro pra ela, que ela só pegava um pouco do dinheiro. E assim foi por dois anos, sempre economizando um pouco dos eu salário. Ela conseguiu juntar esse dinheiro nesse período e assim deu entrada na compra de sua casa.

Hoje ela é concursada da prefeitura, tem casa própria, moto, carro.

Ou seja, a professora Maria das Neves venceu na vida, por seus méritos, mas também por aquele simples ato, tão humilde do jovem deputado federal. Porém Maria das Neves atualmente tem mais um sonho a ser realizado.

Rever a pessoa que tanto fez por ela e que da qual ela é muito grata até os dias de hoje. Ela diz que sua vida mudou após aquele dia, e que sua vida era uma antes de conhecer Uldurico Pinto, e passou a ser outra após aquela cerimonia de formatura.

Ao contar essa história no seu programa o radialista Fernando Moulin abriu precedente a uma curiosidade popular. Dona Maria das Neves reencontrará aquele que um dia de forma simples mudou para sempre a sua vida?

Com a palavra o ex-deputado federal Uldurico Pinto!

Por: Opinião Pública/ Da Redação/ Fonte/ Comando Geral/ Radio Caraipé/

Faça aqui seu comentário!