Portal Opinião Pública "Jornalismo com independência e imparcialidade!"

Polícia Civil da Bahia decreta greve geral a partir do dia 25 em resposta ao Governo da Bahia por descumprir a Decisão Judicial.

ByLéo Feitosa

mar 15, 2022

Em Assembleia Geral Extraordinária realizada na manhã desta terça-feira (15) pelo Movimento Juntos Somos + Fortes (MJSMF), os Policiais Civis da Bahia deliberaram o estado de greve da categoria.

O ato, que aconteceu em frente a Secretaria de Segurança Pública, na Piedade, reuniu aproximadamente 700 servidores, e foi uma resposta ao Governo da Bahia por descumprir a Decisão Judicial, determinando que o Estado se reunisse a cada 30 dias com os Policiais Civis para ouvir as reivindicações e apresentar propostas, pondo fim no impasse que tange ao salário de nível superior dos servidores.

 

Deliberações 

Os Policiais Civis presentes no ato votaram o seguinte cronograma:

Sexta-feira: 18/03 – Os policiais irão entregar as chaves das custódias de presos da delegacias do Estado da Bahia, o mesmo ocorrerá com todas viaturas sem condições de uso.

Leia também!  "Tombou": Chefe do tráfico de Caravelas é morto com vários tiros em Vila Velha - ES.

Segunda-feira: 21/03 – Entrega de coletes sem condições de uso e as pistolas Taurus 24/7.

Sexta-feira: 25 a 27/03 – Entrega das chefias, extras e Greve geral dos Policiais Civis da Bahia, onde não ocorrerá nenhum tipo de serviço.

Além dessas deliberações também foram aprovadas a realização das blitz nas delegacias e a realização de quatro carreatas em Salvador, com data a ser definida.

“A conta dessa greve cairá sobre o governador Rui Costa, ele terá que dizer para os baianos porque não dialogou com o policiais civis. É lamentável ver a postura tão intransigente de um gestor público, até decisão judicial o governo descumpriu, isso gerou muita revolta na categoria”, frisou Eustácio Lopes, presidente do SINDPOC.

Leia também!  Prefeitura de Medeiros Neto comemora sucesso no primeiro dia da Feira Cidadã com participação das secretarias municipais.

Ele ainda explica que entre os 9 estados do nordeste, a Bahia é aquele que paga o pior salário, enquanto no ranking nacional, o estado ocupa a 24ª posição.

“A situação do Policial Civil da Bahia não é nada confortável, passamos vergonha o tempo todo, não temos estrutura de trabalho, ganhamos salários baixíssimos, ficamos para trás dos outros estados do nordeste e do país!”

“Por fim, o governo oferece um reajuste de 4% é inadmissível, preciso é que o governo retome o diálogo sobre salário de nível superior, cumprindo a lei e devolvendo dignidade para a categoria ou então é greve”, finalizou.

Por: Opinião Pública/ DA REDAÇÃO/

Faça aqui seu comentário!