Portal Opinião Pública "Jornalismo com independência e imparcialidade!"

Moradores cobram resposta da Embasa, que acusa empresa Pavicol pela falta de água em Teixeira de Freitas.

ByLéo Feitosa

nov 22, 2018
Moradores estão organizando uma mobilização para sanar o problema, e prometem que nos próximos dias irão realizar protestos em frente à sede da EMBASA.
Falta de água teria sido causada por obras na duplicação da BA-290

Os moradores do Bairro Ouro Verde Park, organizados por meio da sua Associação de Moradores, estão cansados de sofrer com o descaso, falta de compromisso e respeito da empresa baiana de água e saneamento-EMBASA.

Ocorre que por anos os moradores são os primeiros à serem atingidos quando há falta de água, e os últimos a serem abastecidos quando o abastecimento é  finalmente regularizado.

A Empresa Baiana de Águas e Saneamento S.A. (Embasa) é uma empresa brasileira publico-privada concessionária de serviços de saneamento básico de quase todo o estado da Bahia, e campeã em reclamações, tanto pela péssima qualidade na prestação dos seus serviços, quanto pela tarifação e taxação abusiva de 80% sobre o valor das contas, à titulo de taxa de esgotamento sanitário cobrado atualmente no município de Teixeira de Freitas.BA, conforme afirmam milhares de pessoas usuárias dos serviços.

Moradores protocolam REPRESENTAÇÃO contra a EMBASA no Ministério Publico Estadual.

Cansados das constantes suspensões no fornecimento ocorridas nos últimos meses os moradores do Ouro Verde park, fizeram uma petição para solicitar a intervenção do Ministério Público, no que concerne a tomada de providências legais que lhe compete, enquanto órgão de defesa do interesse público.

Leia também!  Tudo pronto para a Feira Cidadã em Medeiros Neto, promovida pela Prefeitura Municipal e Governo do Estado.

Reiteradas vezes a EMBASA justifica que a tubulação da rede que é utilizada no Bairro é inadequada para suprir a demanda da localidade. Porém, a referida empresa justifica ainda, que as obras de duplicação da BA 290, sob a responsabilidade da empresa CONSTRUTORA PAVICOL LTDA – ME- CNPJ nº 01.090.036/0001-76- vem agravando ainda mais o problema, danificando a rede que abastece o bairro e interrompendo o mesmo sem a prévia anuência da EMBASA, como prova documento enviado a nossa redação por uma de nossas fontes.

A PAVICOL possui dentre um dos seus sócios-proprietário ( na verdade o principal), o Sr. Antônio Carlos Santos Lima, também conhecido como ” Toninho Prefeitura”, acusado em diversos processos na justiça por improbidade administrativa,  ilicitude em licitações, fraudes, e que recentemente teve os bens bloqueados pela Justiça Federal.

O fato é que, os moradores inconformados com a situação, haja vista que, há anos sofrem com a falta e/ou abastecimento irregular de água, resolveram solicitar além da INTERVENÇÃO do Ministério Público, uma AÇÃO EFETIVA da Prefeitura e Câmara Municipal de Vereadores, que são responsáveis respectivamente pela contratação da empresa e fiscalização dos serviços prestados, TANTO A EMBASA QUANTO A PAVICOL-LTDA, e desta forma obrigarem ambas à resolver o problema, efetuando a trocar ou adequação da rede de abastecimento no bairro Colina Verde, tendo em vista que, a sede de abastecimento se encontra neste bairro, localizado bem próximo ao Ouro Verde Park.

Leia também!  Prefeito Beto Pinto entrega várias obras no aniversário de 64 anos de emancipação política de Medeiros Neto.
Vídeo gravado por moradora mostra hidrômetro registrando o consumo mesmo sem que esteja havendo fornecimento.

 

Vídeo gravado por moradora mostra a falta de ÁGUA no bairro ouro verde, segundo a mesma por 15 dias seguidos.

 

Vídeo gravado por moradora mostra a falta de ÁGUA no bairro ouro verde, segundo a mesma por 15 dias seguidos.

 

Tentamos entrar em contato com a empresa PAVICOL pelos telefones disponíveis, para que a mesma se pronunciasse acerca do caso, mas até o fechamento da matéria, não obtivemos exito.

Os moradores ainda afirmaram que nos próximos dias haverá uma reunião no bairro com representantes da referida empresa concessionaria, para as devidas tratativas e resolução do problema. Na hipótese de não haver um acordo entre a embasa e associação de moradores, os mesmos salientaram que estarão programando a realização de um protesto em frente à sede da mesma.

 

Por: Opinião Pública/ Léo Feitosa/ da Redação.    

Faça aqui seu comentário!