Portal Opinião Pública "Jornalismo com independência e imparcialidade!"

Ministério Público Federal aciona prefeituras por fraudes no transporte Escolar.

ByLéo Feitosa

dez 20, 2018

O esquema fraudulento e corrupto feito entre prefeituras no sul e extremo sul com as empresas de transporte escolar, que enriquece prefeitos e empresários, está com os dias contados.

O Ministério Público Federal (MPF) deu prazo até 31 de janeiro de 2019 para os prefeitos do sul da Bahia se enquadrarem nas recomendações do órgão, que quer combater a má aplicação das verbas federais. No extremo sul o esquema é o mesmo e o MPF também deve se posicionar.

Em Itamaraju há diversas denúncias de irregularidades cometidas pela Administração do médico Marcelo Angênica (PSDB). Desde 2017 a empresa LN Serviços e Empreendimentos que opera o serviço de transporte escolar no município, faturando quase R$ 700 mil por mês.

Ainda segundo as denúncias, o contrato foi prorrogado irregularmente no final do ano passado, fato que poderá complicar a vida do prefeito junto a Justiça Federal.

Leia também!  Deputado federal Uldurico Jr. destina mais de um milhão de reais em equipamentos para o Hospital Municipal de Medeiros Neto em parceria com o Governo do Estado.

A empresa que opera o transporte escolar em Itamaraju pertence ao vice-prefeito da cidade de Santa Luz, Marcinho da LN. Ele teve o mandato cassado pela Justiça eleitoral na semana passada acusado da prática de abuso de poder econômico.

Em Itamaraju a empresa dele é acusada de sublocar veículos inferiores aos previstos no contrato, inclusive carros de passeio, repassando uma pequena parcela aos reais proprietários dos veículos e ficando com o montante maior. Graças a um aditivo, em dois anos a LN, que presta serviço em varias prefeituras, faturou mais de R$ 6 milhões só em Itamaraju.

Uma denúncia do esquema do transporte escolar em Itamaraju tramita no Ministério Público Federal, dando conta de que veículos próprios do município estavam sucateados e mesmo assim apareciam na lista de abastecimento. Na época o controle era feito pelo diretor do transporte escolar e ex candidato a vereador do prefeito, Marcio Pires (PSDB) que também poderá responder pelo esquema.

Leia também!  Teixeira de Freitas registra primeiro caso suspeito da nova varíola dos macacos.

Além dessa irregularidade, há denúncia de que servidores da prefeitura e até secretários possuem veículos em nome de laranjas sublocados para o transporte escolar.

A LN Transportes responde na Justiça pela morte de uma criança de nove anos que foi atropelada após descer de um ônibus escolar da empresa. O caso ocorreu em março de 2017 próximo a uma unidade de ensino no bairro Corujão em Itamaraju.

Por: Opinião Pública/ Fonte/ Portal Siga a Notícia 

Faça aqui seu comentário!