Portal Opinião Pública "Jornalismo com independência e imparcialidade!"

Foragidos: Empresário e filho acusados de fraudar e vender gás medicinal adulterado ao HMTF e UMMI estão foragidos da justiça após mandado de prisão.

O sol Vai Nascer Quadrado: Após o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, ter negado o pedido de liberdade ao filho do empresário baiano suspeito de vender a secretária municipal de saúde, cilindros de gás medicinal adulterados por cilindros de gás utilizado em solda industrial, e utilizados na respiração artificial dos pacientes do Hospital Municipal e UMMI- Unidade Municipal Materno Infantil-, Izaías Rodrigues da Silva, e seu filho, Diogo Lemos Dias dos Santos, os dois simplesmente ‘DESAPARECERAM”, e encontram-se FORAGIDOS DA JUSTIÇA, depois da prisão de ambos ter sido decretara pela Segunda Câmara Criminal –Primeira Turma, que na sua decisão justificou o risco de unidades de saúde particulares serem atingidas pela fraude.

 

 

O escândalo de adulteração que ficou mais conhecido como “O GÁS DA MORTE”, pode ter sido a “causa-morte” de centenas de pacientes nos dois únicos hospitais públicos de Teixeira de Freitas.

Leia também!  Teixeira: Prefeitura realiza trabalho de manutenção da iluminação pública pela cidade!

A empresa Assis & Rodrigues, sediada em Teixeira de Freitas, no Extremo Sul da Bahia, tinha R$ 228 mil em contratos realizados para a prestação do serviço com cinco prefeituras da região.

O HMTF- Hospital Regional- e a UMMI- Unidade Municipal Materno Infantil, que juntos no ano de 2017 contabilizaram quase mil mortes, sendo cerca de 800 óbitos no HMTF, e pouco mais de 118 óbitos de crianças, em sua maioria recém-nascidos na UMMI.

O mandado de prisão expedido para ambos, tem validade até o dia 13 de junho de 2039, e portanto são considerados foragidos.

 

Entenda o Caso:

O Ministério Público Estadual e a Polícia Civil de Teixeira de Freitas, realizou uma operação no último dia 28 de agosto de 2018, que resultou na prisão em flagrante de Diogo Lemos Dias dos Santos.

O acusado, foi preso na sede da empresa Assis & Rodrigues Ltda-ME, investigada por supostamente fornecer gás medicinal adulterado para unidades de saúde dos municípios de Teixeira de Freitas, Alcobaça, Caravelas, Ibirapuã e Vereda, mas deixou a cadeia um dia após sua prisão.

Leia também!  Prefeitura Municipal abre jogos das quartas de final da Copa Comércio de Futsal de Medeiros Neto.
Na operação, diversos cilindros de oxigênio adulterados foram apreendidos.

Segundo as investigações, a empresa teria fornecido às unidades de saúde, como o Hospital Municipal de Teixeira de Freitas e a Unidade Municipal Materno Infantil, cilindros de oxigênio industrial como se fossem de oxigênio medicinal. Para realizar a fraude, a empresa teria comercializado cilindros com lacres distintos dos selos identificadores e pintado de verde cilindros originalmente pretos.

Conforme o promotor, normas do Inmetro estabelecem, para diferenciar os produtos, que o oxigênio medicinal deve ser acondicionado em cilindro verde, enquanto o oxigênio industrial em cilindro preto.

 

Por: Portal Opinião Pública/ Da Redação/

Faça aqui seu comentário!