Portal Opinião Pública "Jornalismo com independência e imparcialidade!"

Exército e venezuelanos entram em confronto na fronteira do Brasil.

ByLéo Feitosa

fev 24, 2019

Roraima — Um novo confronto entre manifestantes e o exército da Venezuela foi registrado na tarde deste domingo (24) na região de Pacaraima (RR). Ainda não há informações sobre feridos ou vítimas De acordo com imagens da Globo News, os venezuelanos jogaram pedras contra os militares, que revidaram atirando com bombas de gás.


Jornalistas, fotógrafos e cinegrafistas que estavam na divisa entre os dois países se afastaram da região correndo, assim que o conflito começou.

Registros do canal mostram os militares brasileiros, que estão na fronteira, orientam os venezuelanos a deixarem a área de confronto. Pelo menos três bombas de gás atingiram o território brasileiro.

Leia também!  Prefeitura Municipal abre jogos das quartas de final da Copa Comércio de Futsal de Medeiros Neto.
Noite de conflitos

No dia em que o líder opositor venezuelano Juan Guaidó, autoproclamado presidente interino do país, prometeu concretizar a entrada de ajuda humanitária na Venezuela, as cenas vistas foram de confrontos nas regiões de fronteira com o Brasil e a Colômbia e caminhões retornando aos países de saída sem conseguir entregar as toneladas de alimento e remédios ao povo venezuelano.

Ao menos três pessoas morreram, sendo um adolescente de 14 anos, e 31 ficaram feridas em Santa Elena do Uairén, cidade venezuelana na fronteira com o Brasil, em conflitos com a Guarda Nacional Bolivariana (GNB).

Leia também!  "E o trabalho não para!": Projeto Corujão da Prefeitura de Teixeira de Freitas realiza atendimentos pré-agendados da regulação no Ambulatório Central.

Na divisa com a Colômbia, dois caminhões que transportavam ajuda foram incendiados por partidários do presidente Nicolás Maduro na ponte Francisco de Paula Santander, que liga Cúcuta (Colômbia) e Ureña (Venezuela) e 42 pessoas ficaram feridas em confrontos com militares na ponte Simón Bolívar, principal passagem entre os dois países.

Com os confrontos, os caminhões, que haviam adentrado poucos metros na Venezuela, retornaram para os territórios colombiano e brasileiro.

Por: Opinião Pública/ Da Redação/ Fonte/ O Estadão/

Faça aqui seu comentário!