• 17 de setembro de 2021 18:43

Em confronto com Policiais Militares da CIPE/MA-Teixeira de Freitas-BA, criminoso morre em troca de tiros.

ByLéo Feitosa

ago 13, 2021

 

Conhecido da polícia e identificado como Geovane Soares Amorim, vulgo “Geo” morreu em uma troca de tiros com policiais da CAEMA nas primeiras horas da manhã desta sexta-feira, 13 de agosto.

 

O confronto aconteceu por volta das 06h30 desta sexta-feira, dia 13 de agosto,  quando uma  guarnição da CIPE-MA- CAEMA, deslocou-se até a Rua Bom Jesus da Lapa, no bairro Bom Jesus em Teixeira de Freitas para dar cumprimento do Mandado de Busca e Apreensão expedido pela justiça criminal a um indivíduo preliminarmente identificado como Geovane Soares Amorim, vulgo “Geo”.

Leia também!  Mucuri sediará 3º Encontro de Secretários Municipais de Educação do Extremo Sul da Bahia.

O individuo ao perceber a aproximação da viatura efetuou disparos contra a guarnição que de imediato revidou  e na troca de tiros Geovane foi alvejado. O indivíduo foi socorrido pelos para o Hospital Regional de Teixeira de Freitas, onde teve o óbito atestado pelo Dr. Ismar Miranda de S. P. Junior. CRMCREMEB 26762. 

Geovane possui uma extensa ficha criminal, com envolvimento com o tráfico de drogas, roubo e posse de arma de fogo. O traficante é conhecido das polícias de Brasília/DF, Porto Seguro, Itabuna e Itamaraju, e Prado, onde foi preso pelo delegado Kleber Gonçalves e toda equipe da Polícia Civil nem maio de 2017.

Leia também!  Medeiros Neto sedia o III Encontro Territorial de Secretários Municipais de Educação do Extremo Sul Bahia.

Ao lado do corpo foi aprendida uma submetralhadora. Todo material foi encaminhado para a Corregedoria Setorial da CIPE-MA para adoção das medidas cabíveis.

MATERIAL APRESENTADO: 

  • 01 Submetralhadora 
  • 01 kg de substância análoga a pasta base de cocaína
  • 01 porção aproximadamente 300 Gr substância análoga a cocaína
  • 01 celular 
  • 08 munições cal .380 intactas
  • 06 estojos cal .380
  • Aproximadamente 250 ependorff
  • 01 bolsa speedo

Por: Opinião Pública/ DA REDAÇÃO/

Faça aqui seu comentário!