Portal Opinião Pública "Jornalismo com independência e imparcialidade!"

Bateu o desespero? Prefeito Marcelo Angênica teria induzido servidores municipais à obstruírem abertura de CPI, que pode cassar seu mandato.

ByLéo Feitosa

nov 13, 2019

A afirmação de que o gestor municipal teria induzido servidores públicos à obstruírem a abertura da “CPI DA MINI-USINA”, partiu da oposição ao atual gestor, que tenta evitar a todo custo a investigação de supostas falsificação de documentos e superfaturamento em processo licitatório de compra de uma mini usina de asfalto. 

Um grande volume de servidores contratados e nomeados da prefeitura municipal de Itamaraju compareceram na sessão da câmara realizada na noite dessa terça-feira, 12, provocando tumulto com o objetivo de impedir a leitura da CPI instaurada no legislativo que apura suposto crime de falsificação de documentos públicos e fraude em licitação cometidas pelo prefeito Marcelo Angênica e seu Secretário de Obras, Antônio Charbel.

A convocação dos servidores foi feita pela rede social horas antes da sessão, dando ênfase à necessidade da presença dos funcionários contratados pela prefeitura municipal. “Repassar para todos os contratados. A presença é indispensável.” Diz um trecho da convocação. Uma das comitivas foi conduzida pessoalmente por Jaqueline Almeida, esposa do latifundiário Jorge Almeida. Ela coordena o setor da vigilância sanitária da secretaria de saúde.

Leia também!  CTA realiza atendimento especializado para Infecções Sexualmente Transmissíveis; saiba como obter os serviços.

Nossa equipe também registrou a presença de veículos da frota municipal fazendo transporte de funcionários para a sessão. Há relato de pessoas que teriam sido contratadas para promover depredação do prédio da câmara. Um desses contratados chegou a subir na plenária e tentar arrombar uma das portas do local. Toda a ação foi gravada e será entregue ao Ministério Público.

A polícia militar foi acionada, mas o presidente Adriano Pinaffo optou por suspender a sessão. É a segunda vez que o legislativo municipal suspende a leitura da CPI. Na primeira sessão, 8 vereadores faltaram para que o documento não fosse lido.

Leia também!  Circuito Empresarial capacita mais de 2 mil pessoas em 8 municípios do Extremo Sul.

Especialistas do direito afirmam que a atitude do Prefeito Marcelo Angênica só complica sua situação. Segundo uma fonte da câmara, há registros de gravações que comprovam a tentativa de obstrução da CPI, com supostas ofertas financeiras para os parlamentares que retirarem o nome da lista.

Os parlamentares que assinaram o pedido de investigação avaliam ainda solicitar ao Ministério Público um pedido de afastamento cautelar do prefeito Marcelo Angênica para que o mesmo não interfira na investigação da CPI.

Fonte: Portal Siga a Notícia/ 

Por: Opinião Pública/ Da Redação/

Faça aqui seu comentário!