• 17 de setembro de 2021 18:43

Absurdo!: Paciente que tratava furúnculo no HMTF morre vítima de negligência, segundo denúncia de familiares. Operado por Marcelo Belitardo, prefeitura alega que óbito ocorreu por doença inflamatória intestinal.

ByLéo Feitosa

set 2, 2021

 

A suposta negligência médica denunciada no início desta semana, teria ocorrido no Hospital Municipal de Teixeira de Freitas (HMTF), vitimando fatalmente o paciente, José Milton da Silva, de 57 anos.

Segundo a família, Milton havia sido internado no dia 24 de maio em decorrência de um abscesso nas nádegas, popularmente conhecido como furúnculo. Milton ficou internado na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) por cerca de uma semana, onde o abscesso foi drenado e recebeu um receituário com anti-inflamatórios, que foram comprados pelos familiares, uma vez que os medicamentos não foram fornecidos gratuitamente, sob a alegação de que estavam em falta na farmácia popular, mantida pela prefeitura.

Segundo informações dos familiares, após receber alta médica, José Milton foi cuidado em casa pela esposa, que notou que o abscesso provocou uma lesão no reto do paciente. Devido à situação, Milton começou a expelir fezes pela lesão, precisando ser internado novamente, no dia 1° de julho, onde novamente uma parte dos medicamentos utilizados em seu tratamento foram adquiridos de forma particular pelos familiares.

Leia também!  "Agora é ela!": Ex-vereadora LIDIANE ALVES, do município de Lajedão é a nova Coordenadora da 24ª CIRETRAN-BA.

A família alega que a equipe médica informou que antes de realizar quaisquer procedimentos cirúrgicos, era necessário realizar uma biópsia para atestar que a lesão não se tratava de um câncer. Duas biópsias foram realizadas no material biológico colhido no paciente, e mesmo com a negativa do resultado, a equipe médica não realizou a cirurgia para a colocação de uma bolsa de colostomia, procedimento necessário para preservar a área afetada pela lesão e garantir que a recuperação do paciente pudesse evoluir mais rapidamente.

Ainda de acordo com a família do paciente, a equipe médica do HMTF informou que a cirurgia só poderia ser feita após avaliação do paciente, pelo Dr. Marcelo Belitardo. Belitardo, que também é prefeito do município de Teixeira de Freitas, é o único médico proctologista que atende pelo SUS no município.

Devido a urgência do quadro médico do teixeirense, a família pressionou o profissional responsável pelo caso e a cirurgia foi realizada. Do dia 1° de julho, quando José Milton foi internado para a realização da cirurgia, a bolsa de colostomia só foi colocada na última sexta-feira, 27 de agosto, 57 dias após a internação.

Leia também!  "Ela veio!"- Dep. Estadual Kátia Oliveira participa de reunião na residência de Adriano Souza: "Evento foi marcado por ampla participação popular!".

Quando o paciente finalmente conseguiu ser operado, a infecção já havia se espalhado e o teixeirense não resistiu, vindo a óbito na unidade no último domingo, 29 de agosto.

Os familiares de José Milton também procuraram o vereador Bruno Barbosa, que levou a situação à Câmara de Vereadores, na sessão da última terça-feira, 31, e pediu um posicionamento da equipe médica, que justifique a demora para a realização do procedimento, bem como o fato de a família não ter conseguido os medicamentos de forma gratuita.

Em nota a Prefeitura Municipal de Teixeira de Freitas alegou que o paciente veio a óbito após apresentar quando de anúria, e ter sido avaliado com indicação de hemodiálise, com piora do quadro respiratório, sendo encaminhado para UTI. Infelizmente, evoluindo para óbito, com diagnóstico de choque séptico, fístula do intestino e doença inflamatória intestinal.

Fonte: Sul Bahia News/ 

Por: Opinião Pública/ DA REDAÇÃO/

Faça aqui seu comentário!